Páginas

Pesquisar este blog

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Desnecessariamente Forte, Inutilmente Grande

Não quero escrever, nem preciso
Não estou inspirado, então inspiro
Preciso entender por que estou fazendo isso
Então eu giro, eu me reviro, eu respiro

Não estou escrevendo por arte
Mas por que preciso dizer que amo
Que há uma razão por que meu coração bate
E é por ela essa decisão que eu tomo

Preciso dizer e só um poema pode explicar
Podia cantar, mas isso iria me ofender
Por isso escrita é algo que me forço a tentar
E as rimas tento estender

Pois é fato que bem dentro do meu coração
Existe algo que não pode ser vencido
Essa poesia não fala de uma ficção
Aqui dentro um sentimento é vivido

As palavras vem com força, mas com dificuldade
O papel parece um mar intransponível
Mas preciso homenagear o amor, é necessidade
Por mais que a arte não me esteja disponível

Isso precisa estar registrado
Como uma luz que deixa marcas
Para seus desejos me encontro atado
Por mais que as palavras saiam fracas

Então, sem mais demoras, a tarefa começo
A indócil tarefa de explicar sentimento
Sentimento do qual sou fã confesso
Por mais que só me tenha trazido sofrimento

Não existe um motivo, só sentimento
E a pessoa para o qual este se destina
Não sei por que te amo, mas não lamento
Meu amor me comanda e me domina

Ele me faz sonhar e acreditar no sonho
E sofrer pelo sonho e ter esperança
Nos imagino e sonho que te ganho
E a esperança em meu estômago dança

Nunca perco a vontade de ti
É absurdo e me sinto lisonjeado mesmo assim
Quero te beijar e tocar-te
Que me ame, enfim

Te amo tanto de forma tão espetacular
Que não consigo parar e me conter
Por quê não posso te conquistar?
O que diz que é assim que tem que ser?

É tão forte que mesmo com sono e preguiça
E fome e dor e medos
Não há nada que me impeça
A caneta não sai dos meus dedos

Preciso escrever, terminar, finalizar
Precisa ser algo completo, tanto quanto esse amor
Depois desse amor tanto me escravizar
Te digo que não importa mais a dor

As palavras agora vão descansar, disseram o que vieram dizer
Eu não posso descansar, porém, amar é insano
Mas vou tentar me conter
E ignorar o dano.

Fim

AFdSP

Nenhum comentário:

Postar um comentário