Páginas

Pesquisar este blog

domingo, 25 de outubro de 2015

Me Afoga

Me afogando nos seus olhos de parente
Me prendendo nos seus braços de primo
Não culpado, não em paz
Apenas tentando uma homenagem a alguém que merece
Apenas escrevendo um marco de um sentimento que importou
Eu me escondo por trás de olhos fechados
Tento distanciar a dor de sua distância
Alcançar seus braços na minha imaginação
Eles são fluidos, dobram em volta de mim, cobras
Eu giro, um peão
Eu vivo nas piscinas nos seus olhos
Eu floresço no feitiço da sua presença

A pessoa que sou eu pode controlar tudo com meu encantamento
Com seu nome que está na ponta da minha língua
Uma palavra mágica, sexy, indutora de ciúmes
Um nome pertencente a uma imagem divina
Uma imagem que aumenta o nível no mundo quando se fala em perfeição
Um mundo que não deveria ser capaz de te manter sem autodestruir
Um você que eu amo
Um amor em que eu afogo
Um eu que pensa em você
Um pensar que significa problema
Um problema adorável
Uma adoração viciante
Uma adoração que é você
Você, que eu repetidamente menciono
Uma menção com um significado profundo
Um significado simples, porém poderoso
Um poder que é benevolente
Uma benevolência que combina com o sentimento
Um sentimento chamado amor
O familiar amor que, após chamado três vezes, se espera ser atingido
Uma esperança que me ilumina
Uma luz que é você
E com você vem o amor que termina a poesia.

DiSi

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Nunca

Minhas direções estão todas bagunçadas
Os sinais na estrada indicam o fim da linha
As estrelas caíram, minha guia entre elas
O que está à frente me desola, então eu paraliso

Para sempre meu próprio guia para um destino melhor
O asfalto queima minha determinação
As árvores me fazem companhia
Vivas formas negligenciando meu sofrimento

O lá é inalcançável
E o aqui é um triste labirinto
Viajo por um caminho que não leva a nada
Um caminho que eu jamais escolheria

Os céus, as paredes do meu coração, são sombrias
Eu me ajoelho ante um sol feito de lágrimas
Eu sucumbo para minha própria escuridão
É a única força para a qual posso sucumbir sem morrer
É a única que vê a verdade

Eu continuei tentando entender ela
Olhei pelas laterais as características do meu lugar
E o que elas me disseram me destruiu
Pois a verdade é que eu estou sozinho.

terça-feira, 13 de outubro de 2015

A Necessidade de Pensamento Crítico

Quando você fala alguma coisa, você não está dizendo apenas aquilo que você está, efetivamente, dizendo. Há uma mensagem secundária sendo passada. Isso ocorre, principalmente, quando você é voluntário ao falar, quando fala por livre e espontânea vontade. E essa segunda coisa é sobre você. Você entrega uma parte de quem é em tudo que diz. Por que o que é dito, a pessoa que diz achou que era importante ser dito. Importante ser colocado no mundo. Importante o bastante pra ser posto em palavras. Como essa postagem. Ela diz várias coisas sobre que tipo de pessoa eu sou. Só que a maioria das pessoas ignora esse detalhe e vários outros. Falta um pouco de senso crítico no Brasil. E não só nesse ínfimo exemplo que eu dei.

Eu tenho a impressão de que qualquer informação à qual um brasileiro tenha acesso tem credibilidade automática. Essa parece ser, inclusive, uma das primeiras coisas que a faculdade tenta expurgar da mente dos alunos. Uma pena que a maior parte da população brasileira não chega à faculdade. O brasileiro, e eu só posso falar dele pois desconheço o resto do mundo (mas não parece ser assim em regiões mais desenvolvidas), o brasileiro lê, curte, compartilha e expressa opiniões em postagens no facebook baseando-se apenas no que está escrito no post, concordando ou discordando, mas sem nem pensar que aquilo pode não ser verdade, ou pode não ser tão verdade quanto parece. Um grande exemplo é a respeito do auxílio-reclusão, grandemente exagerado em posts no facebook.

O mais interessante, entretanto, é como as pessoas criticam. Elas criticam sem crítica. Apenas pegam uma opinião pronta, um discurso formado, e o despejam em palavras e frases que se tornam clichés de tão repetidas que são. E é quase sempre um discurso de ódio. Não existe meio-termo na internet. Não existem minucias, nuances. Por que é mais fácil absorver e entender coisas absolutas, preto-e-branco e não cinza. É uma preguiça crônica. Mas a realidade não corresponde a pensamentos simplistas, desprovidos de racionalização. E a internet é também o lugar das falácias. Muitas vezes eu vejo um ataque ao mensageiro ao invés de um bom argumento. As pessoas ofendem umas às outras de idiotas, simplesmente por não terem o mesmo ponto de vista. É uma demonstração sem tamanho de arrogância. Dificilmente alguém vai mudar de opinião. Os argumentos não importam. É a própria definição de fundamentalismo.
Isso é fruto da sensação de anonimato? Sim, mas não é só isso. A internet é ampla. Pode-se encontrar grandes quantidades de qualquer tipo de pessoa nela. Ela acomoda todos os grupos democraticamente. Então qualquer opinião que você tenha, você vai encontrar apoio e oposição na internet. Mais do que isso, muito apoio e muita oposição. E é bem fácil e realmente acontece de as pessoas se deixarem levar por esse apoio, superestimando suas próprias opiniões só por que elas foram aceitas por algumas pessoas.
E é normal também que quando você tem uma opinião sua atacada, você arrola argumentos para defendê-la e você fica tendo cada vez mais e mais certeza de ser a opinião certa. Mas na internet as pessoas não tem o senso crítico de distinguir um argumento racional e válido de um que é falho.
O senso crítico é isso. É não aceitar tudo como verdade irrefutável. É pensar a respeito de tudo. Pensar antes de aceitar (ou não aceitar). E ir além, pensar nos porquês. Por quê aquela pessoa está dizendo o que está dizendo? O que ela ganha com isso, como ela se auto-reafirma dizendo isso? Como isso a afeta? Quem é essa pessoa que está dizendo isso? Qual é a razão para ela estar falando isso, o que ela espera alcançar? E não só com relação às opiniões divergentes. Eu aprendo muito com opiniões divergentes, e já mudei minha opinião algumas vezes por causa delas. Você pode aprender mais, inclusive, com as opiniões diferentes, por que como elas estão vindo de um lugar e de um raciocínio diferente do seu, elas vão pensar em coisas que você não pensou e/ou por um ângulo que não te passou pela cabeça. Elas vão estar vindo de uma ideologia diferente. Mas quem quer discutir na internet geralmente tem uma opinião não apenas formada como cristalizada, marcada em pedra, imutável. Uma barreira que as impede de ver o mundo; são bitolados, ignoram a opinião alheia e os fatos. E geralmente essa opinião não é leve, é pesada, uma substituição de personalidade, como se fosse uma obrigação ter uma opinião forte sobre tudo.

Mas talvez grande parte da culpa seja do nosso sistema educacional defasado. Que cria as pessoas para não ter esse senso crítico. Para acreditar em tudo que os professores falam, tudo que os pais falam, tudo que as autoridades falam. Apelo à autoridade é muito usado na web, como se só por que uma pessoa é autoridade máxima expert em algum assunto, ela nunca vai errar, todas as opiniões dela sobre aquele assunto são mais corretas do que todas as opiniões de quaisquer outras pessoas sobre aquele assunto. Quando, na verdade, os experts também são humanos, e também podem estar errados. Inclusive alguém que não entende nada de algo pode falar algo realmente insidioso sobre aquele algo, até mais do que o expert. A única diferença é que há maior probabilidade de um expert estar certo sobre seu ramo de conhecimento do que um leigo. mas o que realmente faz uma opinião ser válida ou não, não é a história pregressa de seu defensor, mas os fatos e fundamentos racionais por trás dela. 

Quando você fala, você exprime uma ideia. O mundo está cheio de ideias. Pensamentos. Modos de pensar. Opiniões. E essas ideias, elas não simplesmente existem imateriais no mundo. Elas moldam ações e comportamentos e geram movimento. Por isso é inocente acreditar que pensamentos são tão imateriais e abstratos que não têm poder de gerar nada. E nós, brasileiros, precisamos analisar um pouco mais.

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Momento

Enquanto olho para a escuridão, um estado de contemplação diabólico me toma
O vidro se turva à minha frente, mil luzes se filtrando neles
Por um segundo, espero em vão que uma se choque e estilhace o vidro comigo junto

O presente me acomete, olho em volta, para olhos desatentos
Sinto como se o metal à minha volta pudesse se torcer em volta de mim
Tiras de ferrugem preto me sufocam dentro do pesadelo que se tornou minha mente

Espero me focar e ser eu mesmo antes que o segundo de reflexão acabe
Mas antes que ele acabe eu quero que eu acabe
A vã esperança, do lado de fora, passa paralela

Temendo pela minha sanidade, aperto o tecido do banco
Como se algo terrível fosse acontecer
Como se esse algo terrível fosse acabar com tudo, para minha paz

Mas minha existência continua, acompanhada pelo barulho de metal girando
E as muitas existências a meu redor exaltam a culpa pelo meu pensar
A culpa por eu esperar, mesmo que por um segundo, que acabem só para que eu possa acabar também

Sem querer, me permito por um segundo sentir o alívio do fim
A escuridão da minha imaginação me levar para as farpas invadindo meu coração
Do tamanho e densidade de facas

Eu vejo meus problemas se esvaindo
Eu sinto o frescor de não me preocupar com o futuro
De não pensar no presente

Meu presente, nesse ínfimo instante, é não existir
Mas eu existo, e isso acaba, e eu persisto
E o a culpa é o vidro se estilhaçando e me perfurando

Não tenho orgulho do meu segundo anterior
Tenho medo de minha antecipação
Espero nunca mais sentir isso, mas sei que vai acontecer

E eu choro por que minha existência me leva a isso
Eu choro por dentro por que meus motivos são egoístas
Eu paro por que preciso continuar.

terça-feira, 24 de março de 2015

Poderoso

Isto me desempodera
Me curva sobre mim mesmo
Me derruba no chão da existência

É a própria força
Capaz de me tornar insano
Um calor invulnerável

Eu me sinto fraco
Suprimido por presença
Amarrado por proximidade

É enervante, histérico
Estou cheio de gás sedativo
Estou jogado no buraco do coelho

Preciso escapar
Não posso escapar
Caindo

Mente falhando
Coração falindo
Eu flutuando

Isto me desempodera
Mas eu quero me curvar para você
O sentimento disso é simplesmente incrível

E o sentimento disso é impossível
Estou afogando
É muito poderoso mesmo.

ICF

sexta-feira, 13 de março de 2015

Veja-Me

Eu sou um ouroboros e me mordo
Tanta vida se mostrando na vitrine do mundo
E pra mim só o desespero está em promoção

Vejo formas de pessoas
Sou a sombra de uma
Quero me unir a elas
Mas pereço separado

Tentando encontrar alguém
Mas apenas o vento permanece entre meus braços
Apenas o silêncio quer meus lábios
E apenas eu sei o meu valor

Vejo casais em amor extasiante
Vejo inúmeros objetos de meu desejo
Vejo e intento mas nunca sou tido
Vejo e ninguém me vê

Meu corpo se revolta em sensações
E vem o medo da palavra nunca
A língua forma um fraco por quê
E o mundo continua sem responder

Isto me persegue
Quero me esconder
Desistir do mundo
O mundo que desistiu de mim

Excepcional

Sente como um desejo de sofrer
Eu formo suas formas na minha mente
Elas destroem ela com vício

Eu sigo você como eu queria seguir minha própria sanidade
Eu fico perto de você e finjo que estou com você
Eu fico aqui e finjo que você está vindo

Minha mente te mima
O adorado culto dela a você
Ela é cega e surda para mim

Eu tenho um coração quando eu te vejo
Eu tenho pulmões quando te ouço
Eles me abandonam quando você se vai

Sua imagem é um choque de vida
Sua face, um despertar repentino
Sua falta, uma morte rápida

Eu sou a sombra do que eu deveria ser
O prospecto do meu eu futuro
Um eu futuro que só pode ser com você

Você é indescritível segundo meus sentidos
E intenso, segundo as batidas do meu coração
E meus sentimentos dizem que você é a pessoa certa

Nós podemos ser um pretexto para o divino na Terra
Nós podemos ser um testamento da capacidade da humanidade para o amor
Nós podemos ser um excepcional
Adorável casal apaixonado.

JPBS

sábado, 24 de janeiro de 2015

Ruína

Não aguento mais
Me torcer e me girar
As pessoas falam de amor indescritível
Bem, agora conheço a dor indescritível
Dor que me impede de ser eu mesmo
Penso em me agarrar à minha personalidade
Mas meu coração grita de cansaço e me sufoca

Eu nunca parei de acreditar
Por mais que eu quisesse
Eu sempre nunca pude enfrentá-lo
O otimismo que me segura

Tanta luta
Tanta crença
Meu coração querendo um encontro de almas
Eu me afoguei tantas vezes no meu coração
Minhas narinas ainda doem

Eu fiz essa aposta
Amor ou nada
Eu perdi
Estou com nada
Sou o nada

O nada que esperança trouxe
A esperança que exaure minhas forças
Consome minha energia
Dirige-a à morte

Eu nunca vou escapar dessa prisão?
Em que seguro uma faca para sentir que minha vida é minha
Eu nunca me pertenço
Mas eu também a ninguém pertenço
Ao nada eu pertenço

Meus sentimentos não conhecem política
Eles também não conhecem minhas forças
Eles ameaçaram e então me ruiram
E então comeram a carcaça

Isso pesou, sangrou, matou e destruiu
Tantas vezes
Como pode ainda existir algo
Algo que possa ser salvo?
Nada vai me fazer respirar
Não mais repente iluminado estarei
A esperança se esvai

Esperança esperar
Espero, esperei, esperarei
Já não sei mais
Já não aguento mais

Já demonstrei toda a superfície do meu amor
Mas ninguém quis se aprofundar
Me conhecer
Fui me tornando vazio pouco a pouco
Uma pétala se despetalando rumo ao fim

Ninguém nunca desligou as defesas mórbidamente colocadas para mim
Nem vai
Até o mau contei como opção
Nem o mau me quis

Me tornei, então, uma máquina quebrada
Sucata sem função
Muitas vezes me senti perto da felicidade
Mas isso só queima, não traz satisfação

Já passei incólume pelo inexplicável
Nem o extraordinário pôde criar luz
Fui queimado e congelado até me quebrar por inteiro
E agora trabalho nesse travesti Frankenstein de uma poesia
Para gritar por socorro
Assim SOCORRO!!!

Eu já fui tanto quanto vivo
Não sei se algum dia vou voltar a ser
Ou se tudo isso é irremediável

Eu choro todo dia
A pedra do amor me ferindo
Minha alma se apagando
O amor não pôde me salvar
Não quando nem ele se realizou

Nem voltar é possível
Eu não aguento nem mais três segundos disso

Sou uma ruína, não uma pessoa
Algo me salve
Preciso de socorro
Não sei mais o que fazer
Nada mais posso
Além de convalescer

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

3 Segundos

Isto me tira de mim mesmo
Uma grandiosa e intrépida expectativa
Que me preenche com você ao invés de mim
E me faz sentir cheio de grandeza

Negação não pode ser alcançada
Não quando deveria
Nem quando poderia me ajudar
Negar está além de minhas forças

Sofrimento apenas ali à espera
Que eu vi no minuto em que notei
Tão pequenas e abrangentes coisas
Asas comedoras de carne

No primeiro segundo eu percebi sua falta
Me vendo fora de mim mesmo enquanto eu precisava de ti
Enquanto eu sentia sua ausência
E eu, sobre isso, pude apenas me desesperar
Por que isto significou que eu sentia algo por ti

E então eu cheguei a um segundo segundo
Que me fulminou vindo de cima
Na forma lívida de ciúmes
Pior do que isso, ciúme sem sentido
Com um significado amedrontador
Por que eu não deveria me por ali
E eu não iria se eu pudesse
Mas sentir é o mandato de um coração

E então o terceiro sinal
De minha querida, minha derrocada
Que eu começaria a amar você
Esta terceira maldição veio
Queria eu não mergulhar em tais fatos

Mas quando eu olhei para mim mesmo
Das altitudes da desesperança
Oh, como pude me ver brilhando
E eu amei a mim mesmo quando estava perto de ti
E eu estava feliz perto de ti
Mas isto iria terminar com meu sangue espalhado no chão
Minha ruína pingando molhada dos céus

Eu não posso dizer
Eu não devo mostrar
Eu preciso esconder
Eu vou aproveitar
Mas eu estou morrendo
No que pareceram... três segundos

PHMF

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

A

Amor
Obsessivamente amor
Inconfundivelmente amor
Amor secreto
De qualquer forma amor

Todo-meu amor
Amor sagrado
Amor para ser honrado
Amor para se maravilhar

Este é o amor
Amor inegável
E amor não-negado
Amor que é puro

Esperançosamente amor para ser vivido
Amor com o qual tenho que conviver
Amor que ninguém pode sentir
Por que é amor que me pertence
Por que é amor pelo qual sou egoísta

Não preciso manter esse amor
Ele é de fato um amor auto-sustentável
Esta coisa bastard-esca amor-esca

Tem amor por me matar
Eu sinto tanto este amor
Profundo e emaranhado amor
Sempre-crescente amor que é invencível

Amor que tudo engloba
Amor que vive em tudo
Amor que quebra o coração
Amor que é tudo

Amor pelas letras de teu nome
Amor pela tua imagem
Amor pelas minhas lembranças de ti
Amor definitivamente por você

Eu tenho amor por ti
Eu só tenho amor por ti
Eu somente tenho amor por você
Eu amo ter amor por ti

Eu tenho amor amor amor amor por ti

BM

Repetição Auto-Repetente

Sem delongas, essa vai ser uma postagem bem menos vaga do que eu costumo fazer, ela vai se compor de exemplos.
A simples ideia de um conceito perpetua esse conceito, pois uma pessoa que talvez não fosse ter aquela ideia por si mesma pode fazê-la quando é exposta a ela. Há uma quantidade infinita de pensamentos que uma pessoa pode ter, mas os que se perpetuam na sociedade e na cultura como um todo são os que são repetidos.
O que me faz pensar em coisas como associações de gays, de negros de mulheres. As leis de cotas, de proteção específica a essas pessoas... elas não deveriam ser necessárias, mas são. Em algum momento devem se tornar obsoletas. E então a permanência dessas instituições passaria a fazer um efeito contrário. Ao lutar contra algo que já está quase ultrapassado, elas apenas lembrariam às pessoas da existência dessa ideia.
A luta pelo feminismo, por exemplo, hoje em dia é necessariamente mais leve. Simplesmente por que a ideia hoje é de que ser antifeminista é um absurdo impensável. A ideia de ser contra mulheres é que se tornou tabu. Exibi-la que é condenável. A mulher ser igual ao homem é o que é natural hoje em dia, e seria antinatural, retrógrado, demonstrar outra coisa, mesmo que isso não seja perfeitamente verdade ainda. Não se pode voltar ao passado.
Os negros são também tratados como as pessoas iguais que são. As vezes em que isso não acontece é que são exceções.
A luta dos gays também evoluiu, hoje em dia ser homofóbico é mais condenável do que ser gay, culturalmente.

As nossas novelas, por exemplo, se tornarão ultrapassadas se não evoluírem futuramente. Algumas coisas já se tornaram ultrapassadas. Eu acredito, por exemplo, que não se necessita mais do didatismo presente quando se fala de mulheres que são agredidas pelos maridos. Já foi tratado tanto que está no imaginário popular.

Mais do que isso, as ideias se proliferam através da memética. Nossa cultura torna partículas culturais e unidades feitas de amontoados de partículas culturais em coisas louváveis, no sentido de aumentarem a aceitação das pessoas que agem de acordo com essas ideias. Por isso essas unidades de informação se mantém, sendo passadas à frente, por que as continuamos repetindo e imitando e passando em frente e elas se tornam, então, na nossa cultura. Por que nós agimos de acordo com o que nos é benéfico, e em sociedade acaba sendo benéfico agir de acordo com a cultura. Por isso a cultura se cria automaticamente. Mas talvez possamos ter mais cuidado com aquilo que perpetuamos.