Páginas

Pesquisar este blog

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Saber

Inescapável

Onde estás?
Como estás?
Se estás.
Não sei nada de ti
por que só o novo importa

Novidades?
Não, nem da sua morte eu teria notícias
Se foste
Deixaste minha vida
E no seu lugar ficaram questionamentos

Como pôde ter ido com tanta facilidade?
Como podes me significar tanto
se não te significo nada
a ponto de me cortar de sua vida?

Preciso saber
Que estás bem
Me importo contigo
Incondicionalmente

Eu não estou perguntando se me amas
Estou perguntando o que há de ti
Que é feito de seu sorriso?
Onde sua voz é ouvida, e dizendo o quê?

Eu não me conformo de ser extirpado assim
Eu não superarei isso
Por quê as pessoas deixam nossa vida?
Por quê, se as amamos?
Por quê, se nos damos bem com elas?

Eu não peço participação
Apenas o ouvir falar
Apenas a forma mais indireta possível de saber
Saber que estás vivo
Me sinto no direito
Já que me és tão caro!

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Simples Assim

Eu nunca mais vou dormir de novo
Eu nunca vou sofrer de novo
E meu coração jamais desacelerará
Meu corpo não vai mais parar de tremer
Minha pele estará eternamente hipersensível
Meus olhos não mais deixarão de te procurar
Não sairá mais da minha mente sua face
Minha temperatura será eternamente elevada
Meus sonhos tu sempre povoará
Porque eu acho que te vi

Simples assim

MVMdS

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

A Cultura como meio de auto-aprisionamento

Vivemos em uma cultura. O modo de agir, pensar, as classificações abstratas que colocamos em todas as coisas. Essa cultura é necessária para nos dar um sentido. É a coisa supérflua mais essencial entre todas as coisas supérfluas. Não realmente precisamos dela para viver. Mas usamos ela para atingir um falso senso de completude. Eu não acredito que um ser humano possa atingir completude de fato. E somos seres sociais. Dependemos do outro. Por que dependemos do outro, em nós foi se desenvolvendo um avançado instinto social, que hoje chamados de moral. Regrinhas não-faladas que regem nosso comportamento para com os outros. Basicamente falam sobre a liberdade de um terminando onde a do outro começa e vice-versa, sendo que todos devem ter o mesmo nível de liberdade. Uma manifestação mais física dessas regras se dá nas leis. As leis são uma maneira de enfatizar o convívio, tentar assegurar que nem uma pessoa vai prejudicar outra. Eu falei isso tudo pra explicar que eu respeito e aceito cultura, mas o tema não é ela em si.
E sim como, por necessitarmos estar inseridos nela, acabamos nos colocando dentro de estereótipos. E às vezes tudo bem, por que algumas vezes isso é uma coisa natural, às vezes o que parece um estereótipo de fato o é. O problema é quando somos alguma coisa que na verdade não somos só pra nos encaixar. Afinal, nós excluímos o que está fora do ordinário.
Nós mesmos nos prendemos. E é compreensível, vide a necessidade da socialização. Mas acontece que o peso disso é às vezes aterrador. Eu acredito que o pressão de tudo isso é o que muitas vezes leva a males psicológicos, como a depressão e até o suicídio. O sentimento de inadequação se equivale ao de impotência, de incapacidade na nossa sociedade, por que aqui uma coisa pode estar diretamente conectada à outra.
Eu gosto de exemplos, então eu vou dar um. Não é o exemplo mais extremo dessa influência, mas é um bom exemplo, um exemplo interessante. As mulheres são sexualizadas, e elas viram isso a seu favor, usando roupas decotadas. Isso, por sua vez leva a uma objetificação que permite o sentimento de posse que leva à violência. Além de que é mais uma coisa que torna mulheres culturalmente diferentes de homens, permitindo o estabelecimento de uma relação de superioridade entre homem e mulher, quase sempre o homem se considerando superior. Mas mesmo quando a mulher é considerada superior, isso não é benefício pra ela. Um homem possessivo pode alegar (e o faz) que é possessivo justamente por que dá valor à mulher. E, também, a sexualidade acaba sendo uma maneira de destacar o poder da mulher, através da ênfase na feminilidade dela, dizendo "eu tenho orgulho de ser mulher". Eu já fiz um post sobre feminismo. O meu exemplo é que aos homens é negado o "ser sexy". E não é uma negação dita. Esse é o valor do meu exemplo, o de ser uma coisa cultural, subentendida. Os homens até usam de sexismo, roupas coladas e músculos à mostra. As HQs são uma mostra extremamente exagerada disso. Mas, ainda assim, a sexualidade masculina não é vista tão naturalmente quanto a feminina. Sempre há um algo de sensação de ridículo se a sexualidade masculina é levada ao ponto em que a feminina vai. Os próprios homens não se sentem tão à vontade. É uma das coisas que a cultura acaba privando. Por que eu imagino o quanto deve ser intenso o senso de empoderamento de uma mulher ao se vestir e se sentir bonita, sexy e poderosa. Esse poder é negado à ala masculina. A sexualização da mulher é muito criticada, e é realmente machista, mas não posso deixar de pensar no fato de que isso se tornou importante para as mesmas. As mulheres gostam de se sentir desejadas. Apesar do machismo distorcer isso e colocar a sexualidade da mulher como uma justificação para sua objetificação. Não é visto ou falado que o lado de sexismo masculino é praticamente inexistente, negado não-verbalmente. Você, homem, não pode querer se sentir sexy, ou o ser, por que isso seria ridículo. E mais, seria gay, já que a sociedade vê gays como homens-mulher, novamente colocando o sexo como algo feminino. Os homens não podem, culturalmente, usar de sexualidade.

Isso é apenas um ínfimo exemplo, um de muitos. Eu não quero criticar a cultura ou a sociedade, apenas como estamos presos a ela, como nos deixamos manipular por algo que nem é real. A cultura é um acaso que acontece, uma evolução natural e aleatória das coisas, ela não reflete os desejos de alguém ou mesmo da sociedade. Ela não reflete o que é certo, o que é óbvio ou o que é básico. Ela é só uma coisa. E mesmo assim, consegue mandar, mesmo sendo abstrata. Mesmo sendo absolutamente supérflua. Ainda assim, podemos deixar de fazer algo que queremos, talvez até queríamos muito, fazer. Por nada. E principalmente por que, a despeito de sua efetiva irrelevância, a cultura realmente rege como as outras pessoas reagem ao nosso comportamento. E eu acho isso uma covardia, uma fraqueza. Uma fraqueza, que nos deixemos reger assim por algo inexistente. Uma fraqueza tanto da parte de quem deixa de fazer algo que quer fazer quanto da parte de quem julga os que tem a coragem. E uma fraqueza gigantesca.

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Amor Habet Finire

É preciso parar e pensar
E matar
Por que matar não é pecado nesse momento
Matar é imperativo

Minha prerrogativa, como escravo desse amor
Assassinato premeditado, em defesa da honra
Matar e matar e não ter a vergonha de ser assassino
Por poder honrar esse amor (ah, esse amor!)

Não podes me amar, dor consome, formigas de fogo vermelho vivendo em cima de mim
Não sei se pode, mas preconceber é preciso
Mas pode não poder, é possível, podes não me amar, da possibilidade me convenço
Eu tento, eu preciso. Convencimento, me possua!

Por que, se ai não me amas, eu preciso respeitar
Eu preciso matar o amor
Por que esse amor é tão límpido
E ele não tem o direito de existir se não for pra ser perfeito
E reciprocidade faz parte do que eu chamo de perfeição

Se não puder acontecer naturalmente
E natural é íntimo a esse amar
Se não, é preciso matar e esperar pra poder matar de novo até que eu de verdade morra
Assunto triste. Assunto verossímil.

É preciso. A poesia morrendo, junto com esse amor, junto comigo, junto com o mundo a minha volta
Eu estou tentando parar de amar, então eu acho que eu preciso de forças agora.
A poesia se esvai
Eu te amo, porém acredito que não devo estar te amando. Se não for para ser correspondido, julgo-me incapaz de te amar. É deveras doloroso, mas inconcebível que eu tenha que viver sofrendo desse tanto.
A linguagem do amor suicidar-se-á.
Vc precisa me amar, senão eu vou morrer. Eu tô morreno, eu tô acabanu.
Eu...

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Essência

Esse sou eu amor incomparável
Uma base sobre um fundo de sentimento utopicamente baseado
E eu me sinto vivo mais
Não consigo entender

Eu te amo tanto TANTO!
Não é explicativo, esse sentimento
O sentido se escondeu dentro de uma toca fugindo de mim
Não faz sentido

Eu te amo de maneira que dói e
Não importa quanto tempo eu viva com você E só aí eu seria considerado vivo
Eu não teria te demonstrado nem 10% do todo por que o todo é infinito
Eu poderia dizer que te amo doze mil vezes e meia
Ainda seria como se eu tivesse que te dizer mais doze mil vezes sempre, a cada vez

Não há como demonstrar falando, gritando, pulando, sorrindo, doando e explodindo
Eu te amo demais e acredite, demais é mesmo demais demais

Eu poderia estar te abraçando eternamente o que não é tempo suficiente, a propósito
E ainda não seria suficiente
Eu só posso tentar e mesmo iso parece muito MUITO!pouco

Eu quero te amar E eu te amo
E mesmo querendo, esse querer é muito pouco meu amor merece mais
Eu preciso me jogar nesse amor COM TUDO!!!
Ser a melhor versão de mim que eu puder ser e tentar ir além
Fazê-lo se orgulhar de mim, mesmo que seja uma porção ínfima, desprezível, irrelevante de orgulho

Por que te admiro e te amo
De ti me orgulho e te amo

Me esforço pra corresponder  à melhor imagem de mim que eu possa ter
Você faz isso comigo e muitas outras coisas
De todas as coisas que eu sou
Apaixonado por você é a mais importante, a maior delas irrevogável fato

Te amar é uma honra
minha essência.


BrMe

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Acima

Vai,
Epifania
Grita o meu amor com força e bravura
Sussurre, pois a maior força incontida não alcança os patamares que ele alcançou
Esse amor atrevido

Tanto quanto tente ser
O que você não pode ser
Mas que eu precisava tentar
Algo que fala de amor
Mas não pode descrever o meu amor indescritível

Aceite ser o resultado insatisfatório
Da escravidão que o amor me impôs
Letras jogadas desesperadamente num papel
A tinta pesada recheada de sentimento
O papel se amassa e se dobra e se rasga e se corta e se revolve sobre si
Por que nada pode suportar tanto amor, como está depositado nesse poema
Então como eu posso suportar? Milagre explica

Quando estive perto do objeto de minha atenção ali
Não podia sentir nenhum infortúnio
E toda minha bondade se despejou pelas minhas mãos
Pelos meus movimentos me entreguei
Pois confessei, e confesso o que sou

Eu te amo, por que você se refere ao meu amor
E eu te odeio por que nada tem esse direito
Só eu, só nós, menos você, menos todo o resto do mundo
Somos dois, e dois é o máximo que cabe aqui
Nesse mundo tão perfeito do meu (espero nosso) amor

E por mais que eu não acredite
Eu tenho tanto quanto certeza
De que o que eu sinto é O amor
Não qualquer coisa
Mais do que qualquer coisa
Acima de qualquer coisa

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Ninguém Merece Ser Rico

Nosso planeta tem recursos limitados, e é impossível que todas as pessoas do planeta vivam sendo (muito muito) ricas. Isso faria com que os recursos do planeta acabassem rapidamente, matando todo mundo de fome. Logo, se nem todo mundo pode ser milionário, então ninguém deveria ser, por que os direitos tem que ser iguais. Claro, pode haver desigualdade mas haver a possibilidade de um pobre se tornar rico. Isso seria uma forma de igualdade. Não a ideal, entretanto. Por que ninguém precisa ser rico.

Eu fico me perguntando: por que os donos de empresas tem que ser ricos? Por que os políticos tem que ser ricos? Por que as pessoas que estão num cargo considerado de comando e liderança tem que ter mais fartura do que as outras pessoas?

domingo, 2 de junho de 2013

Sentimentos x Razão

Uma habilidade que eu vejo faltando na humanidade. Pelo menos no pedacinho da humanidade que está ao alcance da minha visão. A separação entre pensar e sentir. Que ê a base sobre a qual se sustenta a verdade universal de que nem tudo em que você acredita é verdade. E de que há a sua verdade, assim como há outros lados, as verdades das outras pessoas. E que a única coisa que pode ser aceita como verdade é a união de todas as verdades possíveis. A sua pode nem ser possível.
Como exemplo eu vou ser repetitivo e usar o que eu costumo usar de exemplo. E caso estejam se perguntando, sim, isso é o que chamamos de preguiça. Rsrs
Sobre gays. Voce pode sentir odio dos gays. Nao se pode controlar os sentimentos. Mas o que voce sente nem sempre é o correto, voce ja deve ter percebido isso. Entao voce pode pensar. Pensar racionalmente e racionalizar que seu sentimento é errado. Mesmo assim voce nao podera mudar como se sente, mas podera nao agir de acordo com isso. Da mesma maneira que voce pode sentir raiva de um colega de serviço que voce acha muito chato, mas voce esconde isso por que é a coisa certa, inteligente a ser feita. Pra nao gerar atritos e constrangimentos.

É necessario seprar suas opinioes dos seus pensamentos, seus sentimentos da racionalizaçao.

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Epifania

Quando você está por perto eu sou tanto quanto vivo
Eu sinto tanto quanto felicidade
Eu sou tanto quanto eu mesmo
Eu posso tanto quanto conquistar o mundo


Quando os punhos de meus sentimentos estão sobre mim
Eu sinto que eu posso realmente rir

Quando eu passo dessa barreira
Eu posso ser livre de fingir um sorriso
E merecer ter nascido

Eu não posso escapar de você nem em meus sonhos, mas em meus pesadelos
E é uma idéia desagradável para se ter
Não vou me livrar disso
Não vou morrer sem motivo
Eu sou tanto quanto uma pessoa agora
Mas quando você está tipo perto...

Eu posso dançar e gritar e voar
E eu também sinto-me sendo uma alma nua contra o vento
Como se eu fosse uma forma de vida que merece graças salvadoras
Como se eu me pertencesse em pertencer a você

Os céus se abrem para deixar brilhante luz cair sobre meu coração
Você é o paraíso pra mim

E eu não posso parar
Não, eu não posso sangrar
Não, eu não posso chorar
Não, eu não posso cair
Eu não posso tanto quanto dormir
Por que eu sentiria isso como perda de tempo

Quando você está chegando aqui
Eu preciso estar aqui também
Na minha superfície
Onde meu amor me faz seguro
E me mata ao invés
às vezes

Perto da sua pessoa
Não quero ir pra longe
E desperdiçar outro segundo no reino de não-existência além da não-proximidade de ti

Seu olhar me toma
Sua aparência me acorda
Eu definitivamente sei onde eu estou agora
Eu estou profundamente apaixonado

Por que o seu sorriso
Idiota nenhum pode descrever
E eu iria me sentir tão ciumento que eu sangraria
Do maldito idiota que tentasse

Você está aqui agora
No meu contínuo espaço-tempo
Como pode minha vida não ser tão diferente agora
Tão diferente como a coisa mais importante para mim

Eu sou são agora
Eu sou eu agora
Meu coração, ele bate!
Bem, eu sou seu, como eu deveria ser
Eu sou o que eu deveria ser

Loucamente louco amor
Bolas de cristal flutuando
Circo voador de vespas voadoras
Tartarugas rezando rio abaixo falando
Mundo mágico surgindo

Eu estou acima de mim agora
Eu sou seu e seu para ser é por quê eu vivo
E para você me amar eu vivi
Então me ajude por favor

Pode ser que você me ama?
Eu posso ser um idiota tão sortudo?
Pode o meu coração bater mais forte?
Se não eu morrer é o próximo acontecimento
Por que está escalando
Você escalou
Você está no topo do meu coração
Você está assim tão dentro de mim

Você bagunça tudo aqui dentro
Com o único propósito de ser um distante primeiro lugar
Você está trapaceando
Você só precisa existir
Para eu não conseguir parar de pensar só em você.

Eu sou o rei da não-crença nesse jogo
Eu estou emocionado de saber que eu sinto tanto
Estou sobrecarregado pelo fato de que eu posso ser tão divino
Sentir algo tão perfeito aqui dentro, e tão profundamente
Eu nem sabia que tais lugares existiam em mim

E você existindo é matéria de descrença para mim também
Então eu devo estar sonhando

É isso, uma epifania agora!
Eu estou sonhando do momento em que um anjo cruzou meu campo de visãoEU NÃO POSSO CRIAR TAL MARAVILHA!
Mas é a única explicação
Como isso pode ser eu não sei
Mas estou realmente sonhando
E é a única explicação que eu ouso usar
Para o irreal anjo pelo qual estou apaixonado.
BrMe

sábado, 19 de janeiro de 2013

Grateful

Effortless gain
You practiced it on me
Show up, win
The broken lotery of me

The suffering is the prove of the intensity
The fear is the prove of the importance
This poem is the prove of the existence
And I want to prove you

'Cause I've been already subdued by pain before
Hope already led me to death
And I already had to exorcise my own newly acquired fears
So I could ressurrect
But all that I've passed through
would make sense if to have you here with me

I have distrust in faith
But my heart unknowns me and ignores me
And a new abyss awaits me?
'Cause I already love you, easy and risky fact

I dream about us
I have to suppress this crazyness
'Cause I can loose me again
But... meeting you would be
Too good to even consider

I'm now composed of love for you
As for nobody else have I ever been
And I suffer for being without being yours
But I'm more grateful for the current parallelism of our existences
And I'm grateful for being the love I'am now.

bm