Páginas

Pesquisar este blog

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Todos Poemas

Cada toque da sua mão é um poema
Uma vibração musical que sobe e desce em meu corpo
Olhar você me tocando
É como olhar o mundo rindo

Olhar seu corpo é ver o universo inteiro de uma só vez
Esse seu corpo nu
Esse meu prazer completo
Te agarrar sem receio
Desenhar um zilhão de obras de arte renascentistas
Escrever vários poemas com nossos corpos
Inebriante

Sentir isso
Essa coisa, esse ato de divindade
Sexo com amor

Seu calor
É o mesmo calor das explosões atômicas
Usado para o bem

Sentir isso é como sentir
A paz mundial
Quando estou com você
É impossível acreditar que há algo não-certo em todo o infinito
Que eu devo dizer, é você, pra mim
Pois não há nada mais que me importe

Se importe comigo
Pois eu não me importo
Eu só me importo com você
Agora eu estou flutuando

Eu sou uma luz batendo numa nuvem
Eu sou o gosto de maravilha em minha boca
Eu sou a cor do seu cabelo pregada em minha mente
Eu sou a sabedoria que eu sinto ter
Toda a sabedoria
Sinto saber tudo
Me sinto a maior e melhor coisa do mundo
Pois sinto que não há nada além de nós dois
E somos um

O que eu sinto
Eu só posso escrever na sua pele com meus dedos
Desenhar na sua boca com meus lábios
Cantar nos seus ouvidos com minha língua
Sentir em você, comigo inteiro

Eu te amo!
É o que ouço os pássaros piarem, a terra ao ser pisada, o chiar do vento, todos os chiares do vento
Som é vento
E o vento só me diz que eu te amo
E me diz que você me ama

Agora eu sei
Eu sinto
Não, eu realmente sei
Não sei como, mas sei. E ponto.
Não há como você não sentir o mesmo
E de fato todos os poemas e esse
Não são nada perto o suficiente
Pra se dizer que falam do meu amor.

3 comentários:

  1. Uma verdadeira ode ao amor!
    Bravo!! Bravo!! Barvíssimo!!
    Mais um!! Mais um!! Mais um!!

    ResponderExcluir
  2. credo, nem responde meus comentários...

    ResponderExcluir