Páginas

Pesquisar este blog

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Perfeição

Perfeição
Assim começa o refrão
Te digo o que tu és
Da cabeça aos pés

Eu vejo Deus em seus olhos lindos
Vida nessa sensação
De fogos bem-vindos
E coração em ação

Perfeição
Tua designação
Anjo
Tua classificação
E por ti, sentimentos esbanjo

Impossível me segurar
Sempre tenho que te desejar
E olhar
E sentir o pulsar

Energia, tesão, paixão
Nada articulado
Só sentimentos em erupção
Me tornam um naufragado
Nessas águas de emoção

Tu és enigma
Incógnita
Quente como magma
É o que sinto, e duro como brita

Fogo de perfeição
Tua estilosa denominação
(Meu, esperançosamente) Anjo
Tua tipificação
E por ti, tudo esbanjo

Tu és minha violação de direitos
As regras de minha vida a ti não se aplicam
Por isso sinto o impossível de todos os jeitos
Por isso minhas células seu toque e presença suplicam

Perfeição no paraíso do calor do seu corpo divino
Puxando dentro de mim um pino
Gerando descontrole e, disso, ações aleatórias e insuportáveis
E ainda assim, nem sei como, teus níveis de perfeição são aceitáveis
Acredite, aqui não é o seu lugar, e sim no paraíso
E é a sério, não é insinuação
Porque a verdade, ser angelical, é que tu és
Perfeição.

3 comentários:

  1. Nossa, muito macio de ler esse seu poema. Mais um dos sensivelmente encantadores. Me remete mesmo a algo celeste. Bravo!

    ResponderExcluir