Páginas

Pesquisar este blog

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Posso Sentir

Eu te amo
E não quero estar aqui
Se você estiver em outro lugar
Vou buscar sua prsença
Vou te encontrar em mim

Posso sentir sua pele vívida
Posso viver contigo nosso sonho
Posso sentir teu coração
como se meu coração também
Posso ver seus olhos e sentir amor

Todo este calor
Excita minha alma
Incita à beleza
É um ode mítico à perfeição

Ent~~ao sorria
Mostre-me nisso a beleza no universo
Sanidade nas santidades que criamos
Vida na morte

Posso então sentir um arrepio
Sentir um sentimento tangível
A densidade das estrelas é a nossa também
O amor nos torna astros
Posso sentir

Suspiro
Grito
E choro
Desse amor
Nesse amor
Por esse amor
Posso sentir, não há mais dor

Lá só há carinho
É estonteante acordar
Te sinto a milhas
Te sinto em minhas veis
Vejo-o assim, correndo por mim
Carregado por meu sangue
Levantando, assim, por ilusões
Ilusões nada menos que reais

Sinto seu toque
A mão viva crescendo meu ser
Pois ser só há a mim contigo
Sou seu
Sou eu, meu amor

Posso sentir o fogo
Ao ululante queimante que vibra
Em meu coração
E diz que não posso viver sem você
É que...
eu te amo!

Um comentário:

  1. Nossa.
    Esteticamente perfeito.
    a "Sanidade nas santidades que criamos"
    Remete perfeitamente às alteridade, sincronia e particularidades que existem entre DOIS amantes...

    Muito inteligente a sacada do poema...

    ResponderExcluir